Santa Casa da Bahia implementa nova infraestrutura de datacenter com alta disponibilidade por meio da Vortex TI

Com nova infraestrutura, hospital elevou de 1,2 para 1,8 milhão o número de radiografias e imagens radiológicas mensais.

Fundada juntamente com a cidade de Salvador, a Santa Casa de Misericórdia da Bahia atua por meio de trabalhos em educação, saúde e assistência social. Por seu atendimento voltado à população mais carente, tanto na área da saúde quanto nas da educação, cultura e ação social, é reconhecida, ainda hoje, como uma das instituições de caridade mais importante da região.

O Hospital Geral de alta complexidade, é responsável por prestar atendimento a 549 leitos, em 39 especialidades médicas. Adicionalmente, a Instituição conta com 5,5 mil  colaboradores, distribuídos em suas unidades, que realizam cerca de 40 mil atendimentos mensais.

Com o objetivo de ser um hospital digital, sempre aberto a fazer melhorias para servir bem à população, a Santa Casa decidiu que era o momento para atualizar o seu ERP e, desta forma, gerenciar com mais agilidade e precisão os dados dos pacientes e informações da instituição. Além disso, a Santa Casa desejava subir ao nível máximo da escala de estágio da associação Health Information and Management Systems Society (HIMSS), que tem como objetivo principal o estímulo ao uso da TI pelo setor da Saúde, desde o prontuário eletrônico até tecnologias móveis, a digitalização de exames, até os sistemas de inteligência do hospital. A associação certifica os hospitais por níveis, que variam de acordo com a tecnologia utilizada no seu dia a dia, em uma escala que vai de 0 a 7.

Porém, para alcançar todos esses objetivos, era preciso trocar toda a sua infraestrutura de data center para poder suportar o novo sistema de gestão. Para isto, a Santa Casa contou com o projeto idealizado pela Vortex TI, , empresa especialista em datacenter, que superou os grandes players concorrentes do mercado.

“A instituição escolheu melhorar a conectividade e trocar os servidores pela plataforma Cisco UCS, por meio da Vortex TI, para suportar a nova versão do sistema de gestão ERP (enterprise resource planning), os bancos de dados e toda plataforma de business intelligence (BI).
Com isso, ganhou confiança para antecipar o plano de digitalização.”, diz Carlos Nestor, CIO da Santa Casa.

“Além de oferecer a melhor e mais inovadora proposta para a nova infraestrutura de data center, a Vortex também auxiliou na busca por recursos financeiros que viabilizaram o projeto.
Além disso, por tratar-se de instituição sem fins lucrativos, beneficia-se de algumas suspensões de impostos, permitindo investimentos melhores e maiores, utilizados na assistência a população”, diz Alexandre Tagliari De Rosis, diretor comercial da Vortex TI.

A equipe da Vortex foi responsável pela implementação, com duração de menos de uma semana, de um data center totalmente escalável, composto pelos equipamentos Cisco no ambiente computacional e de redes, e NetApp para armazenamento de dados e backup.

O tempo total de migração para o novo ambiente foi de menos de um mês. “Hoje, a Santa Casa está preparada para um crescimento escalável e previsível nesse ambiente, propiciando segurança financeira e planejamento de investimentos adequado”, complementa De Rosis.

“O serviço da Vortex TI foi muito importante pela facilidade em gerenciar o projeto, o aporte de capital, do inicio ao final, no processo de captação. É o parceiro no contrato de manutenção e expansão das tecnologias. A medida em que tem necessidade de discutir tecnologia que será implementada, a Vortex é a consultoria escolhida”, explica  Nestor.

Após a atualização da infraestrutura de rede e instalação de novos servidores, o hospital de 468 anos pode instalar um novo sistema de gestão corporativa e desenvolver novos aplicativos que melhoram a relação médico-pacientes – com agendamentos de consultas e outros serviços.

A nova infraestrutura também possibilita implementar sistemas e aplicativos que não só otimizam a operação do hospital – por exemplo os sistemas de aprovação de uso de material cirúrgico e o de rastreamento de medicamentos (incluindo armazenamento e aplicação) – como aqueles que potencializam o engajamento na relação médico-paciente, caso dos apps de agendamento de consultas e exames.

Segundo Nestor, “ganhamos dos dois lados. No desempenho operacional, porque conseguimos reduzir os riscos, e também com a satisfação do paciente, que agora sabe quanto tempo demandará o primeiro atendimento”. Como exemplo de aumento de produtividade, o executivo cita que o número de radiografias, imagens radiológicas produzidas realizadas mensalmente saltou para 1,8 milhão, graças às novas tecnologias implantadas. “Os pacientes ficaram radiantes em ver como a tecnologia está sendo aplicada no atendimento “, diz o CIO. “Já o corpo médico abraçou a tecnologia e a mudança que a inclusão da inteligência trouxe ao processo”, finaliza.